Brigada de Emergência – Situações de emergência familiares.

Para começar este artigo , gostaria de pedir que você leitor faça um exercício rápido para situações de emergência comigo: pense neste momento o nome de um filme que marcou sua vida.

Pensou? Agora pense no nome de um perfume que você realmente gosta.

Pensou? Agora pense num modelo de automóvel que você gostaria muito de comprar e passear por ai. Pensou?

Para terminar o exercício pense que você está curtindo o filme, ou dirigindo esse belo automóvel com sua família e um acidente ocorre!

E seu filho de 3 anos agora tem menos de 5 minutos para ser socorrido e a cada segundo suas chances de sobreviver diminuem.

Responda rápido! Qual o telefone do Bombeiro? Qual o telefone do Samu?

Segundo as estatísticas internacionais apenas 10% dos leitores desse artigo saberão responder rapidamente os telefones de emergência.

Isso porque a prevenção para situações de emergência não é algo cultural para os brasileiros, mesmo se tratando da sua segurança e da sua família.

Acidentes domésticos somam mais de 37% das internações em hospitais.

Entretanto, num país onde a pizza chega mais rápido do que o socorro de urgência, falar de prevenção é algo que envolve muito tabu, pois temos que nos acostumar com o termo “e se acontecer?” o que muita gente chama de preciosismo.

Portanto, se realmente acontecer um acidente com você, sua família, um colega de trabalho, ou até mesmo um estranho na rua. Qual será sua reação?

Os acidentes domésticos que ocorrem no Brasil geralmente são: quedas de escadas, janelas sem proteção e camas inapropriadas, somando mais de 38% de casos. O INMETRO, estima que as pessoas vítimas de acidentes domésticos somam mais de 37% de todos os feridos atendidos em hospitais.

Entretanto, a pergunta que nos fazemos é por que uma família tem que sair correndo de casa com um bebê engasgado no colo?

A mãe em completo desespero e o pai mal conseguindo dirigir o veículo, expondo a família a riscos até dar a sorte de encontrar socorro?

Será que o pai ou a mãe da criança não seriam capazes de realizar a manobra de Heimlich? que consiste num procedimento simples e que muitas vezes é realizado com a orientação de um profissional do Samu ou Bombeiro por telefone.

Sim, temos a resposta: a cultura da prevenção! Abra o Youtube e busque por: “socorro básico”, em 10 minutos você terá mais informações do que um médico nos anos 70 receberia em uma semana de faculdade. Devemos estar prevenidos em todos os momentos do dia!

Portanto, prevenção é o melhor remédio para evitar danos e estar preparado para agir no momento de emergência.

E é o melhor remédio para minimizar esse danos, seja no trabalho, no trânsito ou mesmo em casa onde todos pensam estar seguros.

Caso de emergência relatado à equipe do e-Brigada pela família:

O início da noite avançava, os pais acabaram de chegar do trabalho, no caminho buscaram a pequena Ana na creche, uma bebê de 2 aninhos.

Ao chegar em casa o casal executa o procedimento de sempre, ele vai dar banho na pequena Ana e a mãe vai preparar o jantar.

Com um pressentimento frio, a mãe vê muito silêncio para um banho segunda feira pós creche, então vai ver como anda a missão do pai, e ao ir até o banheiro, se depara com o pai sacudindo a bebê…

Ana acidentalmente tinha afundado a cabeça na água da banheira por alguns segundo enquanto ele respondia o e-mail do trabalho pelo celular. Em choque, o pai entrega a pequena com lábios de cor azulada para a mãe.

Entretanto, no momento de desespero ela não conseguia lembrar ao menos o telefone da brigada de emergência ou Samu. Então num ato desesperado ela liga para a portaria e aos prantos pede ajuda para o seu João o porteiro da noite.

Seu João, um senhor de 65 anos também não lembra o telefone de emergência, mas ele sabe que no 7º andar, apt. 702, mora um Bombeiro Militar.

Mais que depressa ele liga e por sorte Jonas que faz parte da brigada de emergência está em casa, ele desce correndo ao 5º andar, e antes que pudesse bater, a mãe abre a porta.

E leva a pequena ao Bombeiro que acaba de chegar do trabalho e ainda encontra-se de uniforme.

Jonas posiciona a criança no ante braço e inicia a oxigenação e aplica a manobra de Heimlich e em menos de 1 minuto a criança esta chorando!

Todos entram para o apartamento, Jonas senta a pequena no colo enquanto consola e acalma pai e mãe que não param de chorar. Entretanto, é óbvio que nem todos terão a sorte de morar no mesmo prédio que Jonas.

Como prevenir situações de emergência como esta?

Se assumirmos a responsabilidade da prevenção aprendendo procedimentos básicos de socorro, cada prédio terá uma brigada de emergência.

Ou você acha que não é sua responsabilidade informar aos responsáveis quando vê o extintor de incêndio obstruído ou até mesmo descarregado no seu prédio? Ou quando percebe que o hidrante está sempre vazando água, ou que a central de alarme de incêndio está com as luzes apagadas? Sim, é sua responsabilidade e de todos que moram no prédio!

Por isso a Brigada de Incêndio é prevista em lei e considerada uma ferramenta de extrema importância para ajudar na prevenção de acidentes e na atuação em casos de emergência, a Brigada trata-se de um grupo de pessoas capacitadas, e treinadas para agir em diversas situações de emergência.

Compartilhe esse post:
Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on whatsapp

Postagens Relacionadas

Comentários